Mauá e Ribeirão Pires liberam cultos

Ribeirão Pires já publicou decreto, prefeito Atila teria confirmado reabertura em reunião com pastores

Paula Cabrera

Após entrar na segunda fase de flexibilização do isolamento social, as Prefeituras de Mauá e Ribeirão Pires prepararam a reabertura de cultos religiosos nos dois municípios. Em Ribeirão, o decreto que permite a reabertura de templos já foi divulgado. Em Mauá, a decisão teria sido confirmada pelo prefeito Atila Jacomussi ( PSB) em reunião com pastores da cidade.
No decreto de Ribeirão Pires está prevista que a ocupação máxima dos templos deve ser de 30% da capacidade, o uso de máscaras é obrigatório durante todo o período, cada fiel deve respeitar distância de 1.5m, e deve haver reforço de higienização, com dispenser de álcool em gel. Em Ribeirão Pires o retorno está previsto para a próxima segunda-feira (22/6). Mauá deve seguir a mesmas normativas e, segundo pastores,a permissão valeria para cultos a partir deste fim de semana, no entanto, a administração de Atila ainda não publicou decreto sobre o assunto.
Nesta semana, a Prefeitura de Mauá republicou o decreto de permissão de reabertura do comércio com a informação de que salões de beleza, clínicas de estética em geral não tinham sido liberados nesta primeira fase. Na prática, no entanto, a maioria já voltou a funcionar sem puderes, já que não há fiscalização neste tipo de estabelecimento. Nos bastidores, a ideia é que a reabertura de templos neste fim de semana seguirá a mesma premissa.
Nesta semana, segundo dados da Prefeitura de Mauá são 603 casos confirmados na cidade e 112 mortes. Já segundo dados do governo do Estado são 1.727 casos e 121 óbitos. Em Ribeirão Pires são 350 casos e 22 mortes, segundo o governo estadual e 282 casos e 32 óbitos, segundo a Prefeitura da cidade.