Mauá atinge 100% de ocupação de UTI para covid-19

Falta de leitos teria causado pelo menos quatro mortes nas últimas 24h; hospitais particulares também não têm mais vagas

Paula Cabrera com agências

Mauá alcançou novamente nesta terça-feira (2/3) a marca de 100% dos leitos municipais da cidade ocupados. Segundo informações de bastidores, Santa Casa e Hospital Brasil também não dispõe mais de vagas para casos graves. Nestas últimas 24h foram 10 mortes. Profissionais da saúde afirmam que pelo menos quatro foram de pessoas que precisariam ter sido entubadas e não conseguiram leitos.
O Nardini dispõe de 30 leitos de UTI e 18 de enfermaria. Cada UPA (Unidade de Pronto Atendimento) possui mais quatro camas para casos intermediários. Na rede privada, as 27 vagas da UTI estão com pacientes e, das 31 vagas da enfermaria, 28 estavam ocupadas ontem. Todos estes leitos citados são exclusivos para o tratamento de pacientes com Covid-19.
Em 29 de janeiro, a situação era exatamente esta. Na ocasião o prefeito Marcelo Oliveira (PT) se reuniu com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para discutir a possibilidade de instalar novamente um hospital de campanha para que a cidade dê conta da demanda. 
Nesta segunda-feira (1/3), o prefeito de Santo André e Presidente do Consórcio Intermunicipal, Paulinho Serra (PSDB) pediu a abertura de 110 novos leitos no ABC, no entanto, não havia previsão de novas vagas para Mauá. Desse total seriam 50 vagas para Santo André, 30 para São Caetano, 20 para Diadema e 10 para Ribeirão Pires.