Kiko vive mesmo drama de Dedé em 2012

Com a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral, votos de Kiko não deverão ser contabilizados

Das agências
O drama vivido pela campanha do prefeito de Ribeirão Pires, Adle Kiko Teixeira (PSDB) já é velho conhecido dos moradores da cidade. Há menos de duas semanas para o pleito e barrado pela Lei Ficha Limpa, Kiko Teixeira teve sua candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral e seus votos não serão contabilizados na apuração, de acordo com o DivulgaCand, o mesmo que aconteceu em 2012 com o candidato Dedé da Folha.

O ex-prefeiturável, Dedé ocupava o cargo de vice na época e foi indicado pela chapa governista para ser o cabeça de chapa, quando a justiça barrou sua candidatura por abuso do poder econômico, e o político viu sua campanha minguar nas últimas semanas.
Na época, candidatos a vereadores e lideranças políticas abandonaram a campanha de Dedé, o político amargou a derrota para Saulo Benevides, responsável por questionar o registro de candidatura do político à época. Seus votos não foram computados na apuração do TRE (Tribunal Regional Eleitoral).
O clima de tensão é grande dentro do núcleo duro da campanha de Kiko. Vereadores já começam a abandonar a campanha majoritária, lideranças políticas e seus grupos questionam a decisão do prefeito em manter sua candidatura e não ter trocado o candidato em tempo hábil.

Lair de Moura, Luiz Carlos Grecco e Gabriel Roncon não escondem de seus grupos a insatisfação com a teimosia do prefeito na batalha jurídica, na qual o roteiro e o desfecho lembra o do também aliado, Dedé da Folha em 2012.
O tucano tenta uma liminar no STF (Supremo Tribunal Federal) – que já lhe foi negada – para que sua candidatura possa ser deferida e seus votos sejam contabilizados no dia 15 de novembro.