Mauá firma convênio com Hospital Vital no combate ao coronavírus

Cidade é a primeira do ABC a oficializar parceria público-privada que contatará com mais 29 leitos e prefeito busca novos acordos

Frente ao avanço pelo Brasil do novo coronavírus (Sars-Cov-2), agente responsável pela doença Covid-19, o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi, assinou nesta terça-feira (31) o convênio que estabelece uma parceria público-privada com o Hospital Vital e a Medical Health, o primeiro acordo nesses moldes entre os municípios do ABC. Ao todo, serão até 29 leitos destinados para pacientes com a patologia, sendo 24 espaços de isolamento e cinco de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), equipados com novos respiradores.

A parceria foi firmada na sede da unidade hospitalar, com a presença de Atila, do secretário municipal de Saúde, Luís Carlos Casarin, e das equipes administrativas do Hospital Vital e da Medical Health. “Temos que buscar o melhor para as pessoas. Muitos falam da Economia, mas agora é o momento de falarmos de Saúde, porque não existe Economia sem gente. E hoje Mauá é a primeira cidade da Grande São Paulo a fazer essa parceria público-privada, porque agora é o momento de união para vencermos a guerra contra o coronavírus”, disse o prefeito.

Segundo Atila, o governo trabalha para tratar novos acordos com a rede privada, visando ampliar a cobertura de pacientes infectados pelo vírus. A administração municipal iniciou estudos para aumentar o número de leitos do Hospital de Clínicas Doutor Radamés Nardini, que atualmente designou dez espaços para atender exclusivamente casos de Covid-19. O Paço também busca novos respiradores para a rede pública, além de contar com o mesmo esforço do Hospital Vital.

Nesta terça-feira, a cidade registrou dez diagnósticos positivos de coronavírus (sete de hospitais particulares e três da rede pública), 321 casos suspeitos, 39 descartados e, até o momento, nenhuma vítima fatal. “Mauá não está poupando esforços nessa batalha. Já saímos na frente com a inauguração dos três lavatórios públicos e vamos fazer mais. E reforço o pedido para a população ficar em casa e deixar a gente trabalhar para que juntos possamos vencer essa guerra”, pontuou o prefeito.