Mauá vacina 100 mil contra covid-19

Cidade imunizou 21% da população, com pelo menos 1 dose, e abriu, nesta terça-feira, a vacinação para lactantes com bebês de até um ano

Paula Cabrera

A Prefeitura de Mauá vacinou 102.327 pessoas, cerca de 21% da população com pelo menos a primeira dose da vacina contra covid-19. Desse total, 9% ou 43.215 pessoas já receberam as duas doses.
A cidade cobriu até aqui cerca de 90% dos grupos prioritários- idosos, comorbidades, professores e deficientes- e abriu nesta semana a vacina por idade a partir de 58 anos. Nesta terça-feira (15/6), a administração abriu ainda a vacinação de lactantes com bebês de até um ano.
Segundo dados da administração municipal, o grupo de idosos com 90 anos ou mais é o que teve menor índice – com 69% de cobertura (729 dos 1.050 inscritos foram imunizados). Já no grupo dos idosos entre 80 e 89, os índices ficaram bem acima do esperado, com 114% (5.175 idosos vacinados dos 4.547 previstos).
No grupo entre 75 e 79 anos, 5.846 idosos tomaram a vacina, o que equivale a 92% do esperado (são 6.324 idosos nessa faixa etária inscritos na vigilância).
A cidade é uma das mais adiantadas dentro da vacinação. Mauá foi a primeira a adiantar comorbidades entre 30 e 39 anos.
A administração do prefeito Marcelo Oliveira ressalta que as vacinas são enviadas a Mauá por meio do Plano Nacional de Imunização, que leva em conta o número de habitantes na cidade por faixa etária, de acordo com divisão estabelecida pelo Ministério da Saúde.
Nas mídias sociais o prefeito afirmou que a cidade tem se empenhado para aumentar o número de pessoas vacinadas, mas ressaltou que é necessário receber mais doses do governo estadual para cumprir o grupo entre 50 e 53 anos. “Estamos trabalhando com o objetivo de imunizar o quanto antes o máximo de pessoas em nossa cidade. Tanto que, em muitos momentos, adiantamos a vacinação quando foi possível. A campanha de vacinação contra a Covid em Mauá está sendo conduzida com seriedade e transparência. Porém, temos responsabilidade e sabemos que a quantidade de doses enviadas para nossa cidade, infelizmente, ainda é insuficiente desde que a campanha de imunização foi iniciada no país. Portanto, a antecipação de faixas etárias seguindo o anunciado pelo governo estadual está amplamente condicionada ao recebimento de quantidades suficientes de vacinas”, diz Marcelo.