Alex Manente mente sobre voto a Fundão Eleitoral

Deputado votou sim à medida, que foi aprovada dentro da LDO para 2022

Paula Cabrera

Deputado federal eleito pelo ABC e de olho na reeleição, Alex Manente (Cidadania), divulgou vídeo nas redes sociais, nesta quinta-feira (15/7) alegando ser contrário a aumento no repasse do Fundo Eleitoral, no entanto o parlamentar votou ‘SIM’ para o projeto, que foi aprovado dentro da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e prevê que os valores sejam quase triplicados para a próxima eleição, passando de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões. “O combate à corrupção e aos privilégios são prioridade no meu mandato como líder do meu partido na Câmara, orientou o Cidadania a votar contra o aumento do fundo eleitoral. Mantenho minha coerência e meu compromisso com a população”, defende Alex Manente em vídeo divulgado nas suas mídias sociais, levantando dúvidas em diversos eleitores. “Seu voto aparece como sim na LDO, deputado”, afirmam boa parte. Como resposta, o parlamentar volta a mentir.

“A votação do fundo foi em separado e orientei o partido a rejeitar esse aumento imoral. A votação que está circulando é a da LDO, que representa mais de R$ 4 trilhões em investimento publica na educação, na saúde e na segurança”, afirma.
No entanto, a alegação também não se justifica. Alex votou pela aprovação do destaque apresentado pelo partido Novo que tentava retirar o Fundão do texto. O destaque foi votado após aprovação do texto-base da LDO. A tentativa de retirar o Fundão foi rejeitada em votação simbólica, ou seja, sem cada deputado registrar seu voto. 
Esse fundo foi criado pelo Congresso Nacional em 2017, após o Supremo Tribunal Federal (STF) proibir, dois anos antes, doações de pessoas jurídicas a candidatos a cargos eletivos. De acordo com a legislação, recebem mais recursos do fundo os partidos com as maiores bancadas de deputados e senadores — PSL e o PT, no caso, seriam os maiores beneficiados.

Foram 278 votos a favor, 145 contra e uma abstenção, do deputado Toninho Wandscheer (Pros-PR). Outros não votaram. Como é o caso dos deputados Daniel Silveira (PSL-RJ), que está preso, Flordelis (PSD-RJ) e Tiririca (PL-SP).
Orientaram “sim” à proposta: PSL, PL, PP, PSD, MDB, PSDB, DEM, Solidariedade, Pros, PSC, PTB e Cidadania – do qual Alex Manente é líder, ou seja, a orientação dada por ele para sua bancada confirma a aprovação da medida. Ao “não” orientaram os seguintes partidos: PT, PSB, PDT, Podemos, PSOL, Novo, PV, Rede, e a liderança da Oposição.