Ourinhos é a primeira cidade acima de 100 mil habitantes a vacinar 18+

Vacinação começará nesta terça-feira (03) e acontece na FAPI; prefeito e secretário de saúde comemoraram ainda fechamento do hospital de campanha

Paula Cabrera

A Prefeitura de Ourinhos, no interior de São Paulo, confirmou nesta segunda-feira (2/8) que abrirá a partir desta terça-feira (3/8) a vacinação para a população a partir de 18 anos. A cidade é a primeira do Estado, com população na casa de 100 mil habitantes, a abrir imunização para toda a população adulta. A novidade foi confirmada pelo prefeito, Lucas Pocay, nas suas mídias sociais na tarde de hoje. “A partir de amanhã, começaremos a vacinar toda a população de 18 anos ou mais. Isso mostra nosso comprometimento, nossa gestão, nossa logística. Já estamos aqui preparando tudo. Fizemos nosso dever de casa, criando condições para que a cidade não parasse”, afirmou o prefeito durante a transmissão.

O município imunizava nesta segunda-feira pessoas a partir de 25 anos. No sábado, Ourinhos recebeu mais 7.200 doses para seguir com a campanha. A cidade já aplicou mais de 90 mil doses do imunizante desde o início da vacinação e atualmente tem 17.023 casos e 500 óbitos registrados.
Na live, Pocay destacou ainda que a melhoria nos indicadores, com desaceleração na transmissão e queda nas internações, permitiu que o Hospital de Campanha da cidade seja desmontado no final deste mês.

O prefeito disse ainda que amanhã deverá ser dia de movimento intenso, já que a abertura deve permitir que oito novas faixas etárias sejam imunizadas. Para isso, o horário de atendimento na Fapi será estendido das 9h às 20h. O Secretário de Saúde Donay Neto falou sobre a logística aplicada em Ourinhos, fazendo com que a cidade se destaque entre outros municípios da região.

Por fim, o prefeito pediu que os munícipes que puderem, doem alimentos para auxiliar o Fundo Social de Solidariedade a ajudar as famílias em vulnerabilidade social. “Seguimos proporcionando condições para que ninguém sofresse. Nos zeramos a demanda reprimida. Nenhuma família de Ourinhos passou fome ou vai passar, mas pedimos que quem vier e puder, traga sua doação”, concluiu.