‘O que o governo fizer, vou apoiar’, diz Ricardinho da Enfermagem

Vereador, que foi um dos mais votados, defende apoiar novo governo para construir políticas públicas

Paula Cabrera

Ricardinho da Enfermagem (PSB), que assumirá seu terceiro mandato como vereador na Câmara de Mauá, é enfático em dizer que trabalhará para garantir que Mauá tenha melhorias nas políticas públicas, especialmente na Saúde, a partir de 2021. O caminho para isso, ele confirma, está na parceria com o novo governo. “O prefeito pode contar comigo em tudo o que for bom pra cidade. Conheço o Marcelo (Oliveira), fomos vereadores juntos por oito anos. Conheço a seriedade dele, ele conhece a minha. O que o governo fizer de bom pela cidade, vou apoiar”, afirma ele.
As conversas com o PT estão avançadas. Ele, que chegou a compor um bloco com outros 12 vereadores para definir a mesa diretora da Câmara para a próxima legislatura, diz que não há nada fechado ainda nessa definição e que deve também ouvir o novo governo para garantir que haja paz no Legislativo. “Por ser do PSB, preciso buscar uma composição. Todos os meus diálogos estão nessa busca. Queremos o entendimento. Meu posicionamento, como nova legislatura e presidência, é que estou articulando para buscar uma composição entre partidos e colegas para que tenhamos uma legislatura tranquila”, conta.

Nos bastidores, a informação é a de que Ricardinho deverá apoiar e votar no candidato apoiado pelo PT, que também se mobiliza para conquistar maioria na Casa e garantir a governabilidade.

Aliado de primeira hora do atual prefeito, Atila Jacomussi (PSB), Ricardinho diz que o movimento de aproximação com o novo governo é natural. “A eleição acabou, isso é fato. Precisamos acomodar o PSB dentro dessa nova legislatura pensando sempre no melhor para Mauá”, explica.
Entre as propostas do vereador, que foi um dos mais votados na eleição, está a de trazer para a cidade um laboratório de hemodiálise.
“A minha prioridade sempre será a defesa do direito de saúde. Por exemplo, nesse momento, o governo do Estado não reconhece em Mauá o direito a ter uma clínica de hemodiálise. Os pacientes ficam até sete meses aguardando local para fazer a hemodiálise e deixar de ficar internado. Então, minha luta é garantir esse direito à saúde”, diz ele.
Para o vereador, o combate à pandemia também segue como destaque. Ele afirma que visitou a deputada Marta Costa (PSD) para pedir auxílio para que Mauá recebe uma emenda que garanta a continuidade de testagem em massa. “Quero que em janeiro tenhamos mais condições de continuar aprimorando trabalhos em Mauá, como a testagem em massa. Continuar testando profissionais da Saúde, jovens, idosos. Temos muito trabalho”, afirma.