Grecco pode ser opção de Kiko em Ribeirão e causa discórdia em seu grupo político

Paula Cabrera

A aproximação entre o prefeito de Ribeirão Pires Adler Kiko Teixeira (PSDB) e Luiz Carlos Grecco (PSDB), ex-prefeito e ex vice-prefeito de Ribeirão Pires tem dado o que falar na cidade. Lideranças políticas avaliam que a aproximação sinaliza que os tucanos não vão abrir mão de uma candidatura própria na cidade, mesmo se Kiko não conseguir reverter decisões judiciais que, até este momento, o tornam inelegível.
O rastilho de pólvora da possível situação aconteceu após divulgação de uma live “Pró Ribeirão Pires”, com diversos aliados de Kiko e com a participação de Grecco. Nos bastidores, a decisão foi vista como uma maneira de recolocar o agora tucano no radar “num projeto de cidade unificado entre partidos”. A filiação ao tucanaro foi feita no dia 4 deste mês, segundo a Justiça Eleitoral.

Além de Grecco, participariam da transmissão Dr. Manoel Justino, Dedé da Folha e Lair Moura. Lair, aliás, foi forte aliada de Saulo Benevides e secretária em sua gestão, responsável por indicar a vice de Saulo nas eleições de 2012. A proposta de Grecco como possível candidato do tucanato, aproximaria o Avante, de Lair e do PPS de Dedé da Folha, que atualmente tem sido aliado ao governo de Kiko.

Outro fato levantou suspeitas sobre a aproximação do grupo de Saulo com o atual prefeito, Kiko Teixeira, foi a postagem feita pela pré-candidata do Avante, Lair Moura, em seu Facebook no último dia 25/4. Lair enaltece o trabalho do prefeito Kiko na condução da crise do Coronavírus, elogia seu aliado político, Saulo Benevides e critica seu adversário, Clovis volpi.

A situação, no entanto, cria uma saia justa com o PTB. Atual vice de Kiko, Gabriel Eid Roncon l, esperava ser o herdeiro natural da vaga de candidatura, caso Kiko não consiga reverter a situação jurídica, mas a aproximação com Grecco coloca em xeque a possibilidade. Para Roncon, sinalizaria a necessidade de romper de vez com o prefeito e partir para um projeto próprio, possivelmente uma candidatura à Câmara de Ribeirão, já que a indecisão de Kiko de postegar o cenário eleitoral sem sua participação, teria colocado água na possibilidade de construção de um projeto forte de Roncon de concorrer à Prefeitura.
Há ainda a informação de Kiko ainda acredita na possibilidade de que reverta a inegibilidade em Brasília. Ele foi condenado em segunda instância por ter contratado o filho de um assessor para asssumir um cargo comissionado quando era prefeito de Rio Grande da Serra. Caso vença em terceira instância, poderá concorrer às eleições. Caso não haja julgamento, Kiko estaria fora da disputa por improbidade administrativa.