Em semana de aniversário, Ribeirão Pires sofre com negligência do Estado

Prefeito diz que cidade tem 36 novos casos positivos com necessidade de internações diariamente

O prefeito de Ribeirão Pires, Clovis Volpi (PL), participou de reuniões na última terça-feira (16/3) para definir os rumos da cidade e o possível lockdown. Ao JNC, o prefeito explicou que a cidade tem uma média de 36 novos casos diários que necessitam de atendimento médico e possíveis internações. “Esse número é elevadíssimo para Ribeirão Pires. Em 12 dias, 432 pessoas testaram positivo para covid. Essas pessoas são os vetores de contaminação e estão nas ruas. A pergunta que fazemos é: quantos serão contaminados por elas? Isso é um desastre para o sistema de saúde e internação”, explicou ele.

Sobre como deve funcionar o lockdown, Volpi diz que a ideia é fechamento total, inclusive de serviços essenciais, por um período de pelo menos 7 dias. “Não queremos chegar a isso, mas se for necessário, faremos – embora entenda que tenha que ser em todo o ABC”, afirma.

Como já colocou a cidade em situação de calamidade, Volpi acredita que o fechamento será imediato após a decisão. “A calamidade será utilizada para emergências, já que com o número crescente de infectados, vou precisar de soluções rápidas e o estado de emergência me possibilita isso”, conclui.

A prefeitura confirmou a morte de mais um paciente que aguardava uma vaga de UTI na fila do CROSS – Centro de Regulação de Vagas do Estado, nesta terça-feira. Trata-se de um homem de 55 anos, que estava internado no Hospital de Campanha. O óbito aconteceu nesta madrugada por complicações da covid.

Com essa, Ribeirão Pires já registra 8 mortes de pessoas que aguardavam na fila por vagas no CROSS. Hoje, 21 pacientes da cidade aguardam vagas no sistema.