MAUÁ: Pela primeira vez na história, um Prefeito derrotado pode não ir na transmissão do cargo na Posse de amanhã

Segundo fontes, Atila não teria aceitado derrota nas urnas e estaria inconformado em ter que transmitir cargo

Paula Cabrera

A posse do novo prefeito Marcelo Oliveira (PT) e dos 23 vereadores, 16 novatos, acontece nesta sexta-feira (1/1), às 10h. Neste ano, a informação que corre nos bastidores é de que o atual prefeito, Atila Jacomussi (PSB), estaria se recusando a fazer a cerimônia de transmissão de cargo. Tradição na cidade, a cerimônia acontece logo após a posse, no gabinete do prefeito, com a entrega da chave da cidade e a bandeira da cidade ao novo prefeito.

Segundo fontes ouvidas pelo JNC, o socialista teria se negado a participar do encontro, o que quebraria o costume pela primeira vez no município desde sua emancipação, em 1954.

Mesmo Donisete Braga (PDT), que teve fortes embates contra Atila em 2016, participou da cerimônia de transmissão.

A conversa sobre a decisão de Atila de faltar ao evento correu na política da cidade como pólvora. Para muitos, o socialista estaria inconformado com a derrota e se encaminha para o isolamento político.
Nos bastidores, corre a informação de que a derrota, além de ter pego Atila de surpresa, não teria sido bem digerida pelo socialista, que teria se sentido abandonado por vereadores reeleitos pela sua chapa. Com isso, teria decidido não reconhecer Marcelo como prefeito ao transmitir o cargo. A decisão teria pego mal.

Longe de ser unanimidade no meio político, muitos acreditam que após sair da Prefeitura, Atila deve perder forças e já veria muitos apoios mudarem de lado. A conversa sobre não participar da cerimônia acirrou ainda mais os ânimos e seria encarada por parte da política municipal como um capricho que não condiz com o papel de prefeito. É esperar amanhã para ver.