Manente é desmentido pelo TSE sobre novas eleições em Ribeirão

Tribunal diz que deputado não teve agenda oficial com Barroso e não há novos desdobramentos no processo que envolve as eleições da cidade

Paula Cabrera

O deputado federal, Alex Manente (Cidadania) voltou a ser chamado de “Alex que Mente” nas rodas de política locais. Desta vez, o parlamentar se empolgou ao defender seu apoio ao ex-vice-prefeito de Ribeirão Pires, Gabriel Roncon (PTB), e teria afirmado durante um evento, comandado por Rocon e Dedé da Folha, que havia a previsão de que Ribeirão teria novas eleições entre março e abril do ano que vem. Segundo ele, a informação teria sido confirmada por Alexandre Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), durante encontro de ambos em Brasília. Esse seria o prazo dado pelo magistrado para que o tribunal julgasse todas as ações de inegibilidade das eleições de 2020. Com isso, relatou, em tom de comoção, que Roncon poderia ser candidato às novas eleições antes da disputa nacional, prevista para outubro de 2022.
Em nota, o Tribunal refutou a informação e alegou que o último encontro oficial entre Barroso e Manente aconteceu há quatro meses e as eleições do ano passado não estavam na pauta, que discutiu o voto impresso, a reforma do código eleitoral, as eleições do próximo ano e especificamente um processo do qual Manente é parte, sobre propaganda irregular nas eleições de 2016. A nota do Tribunal reforça ainda que não há informações sobre desdobramentos de ações judiciais por serem processos com diversos desdobramentos possíveis, com diferentes recursos que podem ser ainda impetrados pelas partes.
Dedé e Gabriel Roncon estreitaram relações com Manente ainda nas eleições de 2020, e são apontados como possíveis cabos eleitorais do parlamentar de olho em 2022, que teriam o objetivo de angariar voto para Manente em Ribeirão Pires. Roncon, que foi vice de Kiko no ano passado, alimenta a intenção de ser o candidato principal numa possível nova eleição na cidade. Já a defesa do prefeito Clovis Volpi (PL) segue firme que conseguirá reverter a cassação do registro de candidatura do chefe do Executivo.