A morte causada pela covid-19 não deve ser tratada com naturalidade

Da Redação

Nesta semana, o líder de governo de Santo André e também vereador, Prof. Jobert Minhoca (PSDB), se posicionou nas redes sociais sobre a falta de sensibilidade do ser humano durante este 1 ano de pandemia no qual o mundo vive. Desde o início da crise sanitária, o parlamentar se colocou presente e participativo ao lado do prefeito Paulo Serra quanto às decisões direcionadas ao enfrentamento do vírus na cidade.

Em texto publicado, suas palavras expressam sua inconformidade, o desconforto sentido com o aumento expressivo de mortes no país e sua reflexão sobre como está sendo normalizado igualar vidas a números, minimizando o significado de cada perda.

“Hoje, com muita indignação, percebi que a expressão “número de mortes” banalizou a gravidade da perda, da falta, do luto. Não há doença que faça diminuir essa dor e a morte não deveria ser encarada como algo tão espontâneo neste momento.” […] O descuido e o egoísmo resultam no aumento dos números que vemos nos jornais, mas muito mais que isso, eles implicam nas mortes de pessoas reais, que tiveram uma história: nasceram, cresceram, se desenvolveram, erraram, acertaram, cuidaram, sonharam, amaram e foram amadas. […] A morte faz parte da natureza, mas a vida interrompida por este vírus não deve ser um fato tratado com naturalidade. Exponho minha tristeza a tantas perdas, e presto minhas condolências. Sejamos mais cuidadosos, por nós e por quem está ao nosso redor. Vamos respeitar a vida!”.

Para exemplificar sua visão, Prof. Jobert Minhoca fez um comparativo entre as mortes causadas por um acidente aéreo e pelo Coronavírus, atentando a todos sobre a mudança de perspectivas quanto ao valor dado às vidas que se foram em razão da Covid-19.