Morando diz que se capital reabrir, São Bernardo também reabrirá

Prefeito subiu o tom com decisão do Estado de manter ABC em isolamento

Das agências

O prefeito Orlando Morando (PSDB), um dos principais aliados do governador João Doria (PSDB) subiu o tom nesta semana sobre a decisão do Estado de manter São Bernardo na fase 1 do plano de flexibilização do isolamento, que ainda impede a reabertura do comércio. Em live feita em suas mídias sociais, o chefe do Executivo bernardense afirmou que se a capital reabrir, São Bernardo também reabrirá.
Além dele, Paulo Serra (PSDB), de Santo André e Atila Jacomussi (PSB), de Mauá demonstraram intenção de antecipar a reabertura do comércio.
O presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, Gabriel Maranhão (Cidadania), também prefeito de Rio Grande da Serra, pediu reunião com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi (PSDB), para tratar do assunto e cobrar a liberação para relaxamento mínimo da quarentena imposta para tentar conter o avanço do novo coronavírus.
No Plano São Paulo, instituído pelo governo paulista para retomada da atividade econômica no Estado, o Grande ABC ficou classificado na Fase 1, vermelha, de maior restrição dentro da quarentena. Entretanto, a despeito de ser limítrofe da região, a Capital está na Fase 2, laranja, com possibilidade de abrir alguns estabelecimentos comerciais, como shoppings, concessionárias e escritórios.
Na última semana, depois desse anúncio, prefeitos da região tentam convencer o Estado a trocar as sete cidades de fase, sob argumento de que o Grande ABC tem números melhores nos critérios utilizados pelo Palácio dos Bandeirantes dentro do Plano São Paulo – como volume de leitos a cada 100 mil habitantes, quantidade de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), taxa de isolamento e testagem da população.
Por enquanto, Bruno Covas, decidiu seguir com fechamento de serviços não essenciais na Capital, fato que, de certa forma, distensionou o debate. Isso porque havia expectativa de troca de faixa no ABC, mas, na quarta-feira, o governador João Doria (PSDB) optou por manter a região na zona máxima de restrição. Durante entrevista a jornalistas, Bruno Covas e Doria disseram que o cenário – de fechamento total na Capital e na Região Metropolitana – seria o mesmo até o dia 15.
Os prefeitos da região foram pegos de surpresa com o anúncio de Covas na tarde desta quinta-feira. Tanto que eles conversaram por telefone para buscar alinhamento e pressionar novamente o Estado.