Ribeirão começa aplicação na Secretaria de Saúde

Segundo o prefeito Clovis Volpi, nesse primeiro  momento a imunização será feita nos profisisonais na linha de frente ao combate ao Covid-19

Paula Cabrera

Ribeirão Pires recebeu as vacinas contra o coronavírus no início da noite desta terça-feira (19/1), na Secretaria de Saúde, onde foram feitas as primeiras aplicações. A cidade recebeu 1.640 doses que serão direcionadas para o atendimento de profissionais da Saúde, indígenas, quilombolas e idosos acima de 75 anos acamados ou que vivam em asilos.
Nesta terça-feira, as primeiras aplicações foram feitas em profissionais que prestam serviços na linha de frente ao combate contra o coronavírus. Servidores do Hospital São Lucas e do Hospital de Campanha também receberão a imunização.

A primeira pessoa a receber a vacina foi o doutor Malek Mounir, 33 anos, coordenador clínico multidisciplinar do hospital de campanha de Ribeirão Pires. É uma honra e uma gratidão. Acaba sendo o reflexo de um trabalho árduo. Esse é um passo para uma Ribeirão Pires e um mundo sem Covid”, disse o médico. “Tivemos muitas emoções negativas nos últimos tempo e essa é uma emoção positiva.”

Também foi vacinada Rute Moreno, 37, enfermeira e uma das coordenadoras do hospital de campanha. Uma segunda dose do imunizante será aplicada no prazo entre 14 e 21 dias. “Estamos na luta com muita esperança. Fico feliz em representar todo um grupo.”

Com a baixa quantidade de doses enviadas neste primeiro momento, o secretário de Saúde de Ribeirão, Audrei Rocha, explicou que as doses não serão deslocadas para as UBSs da cidade. “Neste momento, nosso objetivo é vacinar os profissionais que trabalham na linha de frente. As doses serão direcionadas aos locais que fazem esse trabalho de atendimento aos casos de covid-19, no Hospital São Lucas, UPA Santa Luzia e Hospital de Campanha”, explicou ele.
O secretário explicou ainda que não há informações sobre a disponibilização para idosos, que deviam ter vacinação iniciada a partir de 8 de fevereiro. “Por enquanto não temos informações sobre a imunização de idosos. Profissionais da saúde que não estejam no combate ao coronavírus também devem aguardar a imunização inicial”, explicou.
O prefeito de Ribeirão Pires e vice-presidente do Consórcio Intermunicipal do ABC, Clovis Volpi (PL), diz que a chegada da vacina é um sopro de esperança para o fim da Pandemia.
“Vamos vencer essa guerra e a Prefeitura de Ribeirão Pires não medirá esforços para conseguir imunizar toda a sua população”, disse. Volpi chegou a assinar protocolo de intenção de compra de 30 mil doses a mais para imunizar servidores da Educação, mas o Butantan, no entanto, confirmou que com o atendimento ao plano nacional do Ministério da Saúde, não poderia atender essa demanda.
O ABC recebeu 39.320 mil doses da vacinas contra a covid-19. O presidente do Consórcio Intermunicipal do ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), havia falado de 80 mil doses, mas o total, aparentemente, equivaleria a duas imunizações – com diferença de 21 dias- para os mesmos pacientes, ou seja, nesta terça, apenas metade das doses foram entregues. O JNC recebeu o painel com o total de doses por cidade. São Bernardo recebeu 11.840 doses, Santo André, 11.360, Mauá teve 4.760. Logo depois aparece Diadema, com 4.480. São Caetano, apesar de ter menos munícipes, recebeu 4.800 imunizantes. Ribeirão, 1.640 doses e Rio Grande da Serra apenas 440 vacinas