Consórcio afirma que cumpre critérios de flexibilização e aguarda reclassificação da região para reabertura

Assembleia de prefeitos do Consórcio ABC analisou dados das sete cidades para enfrentamento da pandemia da Covid-19

Paula Cabrera

O Consórcio Intermunicipal do ABC afirma que os indicadores mais recentes relacionados ao novo coronavírus (Covid-19) nas sete cidades confirmam que a região cumpre os critérios determinados pelo Governo do Estado para que possaentrar na chamada fase 2 do Plano São Paulo, que trata a reabertura gradual da economia. O tema foi tratado pelos sete prefeitos durante assembleia do Consórcio, realizada por meio de videoconferência na tarde desta quarta-feira (3/6). 
Durante a reunião, os chefes dos Executivos municipais ressaltaram que os esforços realizados pelas prefeituras permitem a passagem do Grande ABC da fase 1 (faixa vermelha, de alerta máximo, com funcionamento permitido somente aos serviços essenciais) do Plano São Paulo para a fase 2 (faixa laranja, de controle, com possibilidade de aberturas com restrições).
O presidente do Consórcio ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, ressaltou que a região atendeu a uma série de critérios que permitiriam a reclassificação.  “Nossos números têm condições de passar para a fase 2 e iniciar uma retomada gradual e consciente. Por exemplo, o Grande ABC oferece 30 leitos de UTI para cada 100 mil habitantes, enquanto que a exigência mínima é de 10 leitos”, afirmou Maranhão. 
Além disso, destacou a visita anunciada pelo do secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, ao Quarteirão da Saúde, em Diadema, para credenciar novos leitos destinados a casos de Covid-19 na região. Agendada para o próximo sábado (6/6), às 10h, a visita será acompanhada por técnicos da Saúde do Governo do Estado, visando a reabertura gradual de atividades econômicas no ABC, possivelmente, a partir do dia 10.
O presidente do Consórcio ABC também reiterou o incentivo ao isolamento social e o uso de máscaras como medida para enfrentar a Covid-19, assim como a orientação para que a população permaneça em casa, saindo apenas se estritamente necessário, como medida de combate ao vírus.