Câmara de Mauá terá sessão remota nesta terça-feira

Com 22 infectados por covid-19, Legislativo vota sete projetos do Executivo em segunda votação, entre elas doação de terreno para construção de escola no Jardim Canadá

Paula Cabrera

A Câmara de Mauá fará uma sessão remota nesta terça-feira (11/8) para impedir a disseminação do coronavírus, após 22 pessoas – 18 servidores e quatro vereadores – testarem positivo para covid-19 na última semana. Apenas o presidente da Câmara, Vanderlei Cavalcante, o Neycar (SD) e o primeiro primeiro-secretário interino, o vereador Fernando Rubinelli (PTB), que substitui as funções do vereador Adelto Cachorrão (Republicanos), estarão presentes no plenário da Casa de Leis.
Estão afastados por testar positivo para covid-19 os vereadores Adelto Cachorrão, Samuel Enfermeiro (PSB), Chiquinho do Zaíra (Avante) e Professor Betinho (PSL). Marcelo Oliveira (PT) também testou postiv, mas já está liberado pelos médicos, com mais de 15 dias da doença.
Na sessão dessa terça-feira serão colocados em pauta sete projetos da autoria do Poder Executivo. A maioria refere-se a permissões para programas com transferência de renda, como bolsa aluguel, repasse para associação de pais e mestres para a compra de uniformes escolares, recursos para programa de Melhoria Habitacional e Moradia Transitória. Há ainda uma solicitação para entregar ao Estado um terreno localizado no Jardim Canadá para a construção de uma escola para alunos do primeiro grau (de 1a a 8a séries) e um projeto que cria o Fundo Municipal de Transportes de Mauá. Todos já foram aprovados em primeira votação, na semana passada.
Após os diagnósticos, a Câmara colocou toda a casa em atenção. O atendimento ao público só pode ser feito das 10h ao meio-dia e é necessário cumprir revezamento de servidores nos gabinetes para manter a circulação menor no local. O expediente também sofreu alteração e a Câmara funciona das 8h as 15h. Na sexta (7/8), o prédio passou por desinfecção.