Rubinelli questiona no MP divergência de casos de covid-19 em Mauá

Vereador afirma que administração de Atila Jacomussi pode estar subnotificando casos na cidade

Paula Cabrera

O vereador Fernando Rubinelli (PTB) entrou com uma representação no Ministério Público para que seja investigada uma possível subnotificacao de casos de coronavírus dm Mauá por parte da administração de Atila Jacomussi ( PSB). A ação, teve como base matéria do jnconline.com.br, que confirma que divergência de dados entre a Prefeitura de Mauá e o governo do Estado e a maior entre as cidades. O vereador afirma que “em um contexto de pandemia mortífera, a Prefeitura de Mauá, município de mais de 450 mil habitantes, privar sua população de ter acesso aos números reais da pandemia na cidade, gerando uma subnotificação que fatalmente influencia na escolha da estratégia errada de combate à doença, notadamente atinge em cheio a dignidade da população de Mauá, limitando-a de maneira irresponsável e perigosa”.
Nesta terça-feira (23/6), o governo do Estado divulgou boletim que aponta 1.948 casos em Mauá, com 128 mortes, número três vezes maior do que o divulgado por Atila. No entanto, o boletim da administração de Atila diz que 627 confirmações e 117 mortes.
A Prefeitura afirma que o delay é normal diante da pandemia, no entanto, conforme a matéria deste jornal, os outros municípios, normalmente tem diferenças menores, que são corrigidas em um período pequeno de dias. Após matérias sobre o tema deste jornal e do Diário do grande ABC, São Bernardo, que também tinha divergências nos números, já corrigiu a situação e, nesta terça, mostrava 6.903 casos confirmados, enquanto o Estado divulgava 6.144. “É preciso transparência no combate ao coronavírus. É preciso responsabilidade e atrasar os números ou mesmo subnotificá-los pode ser o ponto que cause ainda mais mortes na nossa cidade”, diz Rubinelli.