ABC fica de fora de flexibilização de quarentena de Doria

Cidades devem reduzir internações e liberar leitos para tentar reabertura a partir de 14 de junho

Paula Cabrera

O ABC ficou de fora do plano gradual de reabertura do comércio e possível fim do isolamento social, previsto para começar no Estado a partir de 1° de junho. Com a decisão, a região deve manter o isolamento social até 14 de junho. Entre os critérios adotados para manter a quarentena na região – e também na baixada Santista- estão a alta ocupação de leitos e o número de novas internações no período. A situação no ABC deve ser reavaliada até o dia 14 de junho.
Nos mapas do Estado sobre o controle da doença, quatro cidades do ABC aparecem entre as que registra o maior número de casos: São Bernardo, São Caetano, Diadema e Mauá. Na região a ocupação média de leitos é de cerca de 86%, segundo dados do Consórcio Intermunicipal do ABC.
Outro ponto levado em conta pelo comitê de crise do governo do Estado foi o de número de testagens por região. No ABC, São Caetano e Santo André tem direcionado esforços para ampliar a realização de testes e, assim, ter uma panorama mais completo sobre números de infectados, de pessoas que já tiveram a doença e, assim, preparar melhor os planos da Saúde sobre necessidade de leitos para não haver colapso com a liberação do isolamento.
As cinco fases do programa vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) – que é o que as cidades do ABC se encontram atualmente- a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O objetivo da classificação é assegurar atendimento de saúde à população e garantir que a disseminação do coronavírus em níveis seguros para modular as ações de isolamento.
A interdição total de espaços públicos, teatros, cinemas e eventos que geram aglomerações – festas, shows, campeonatos etc – permanece por tempo indeterminado. A retomada de aulas presenciais no setor de educação e o retorno da capacidade total das frotas de transportes seguem sem previsão.
A etapa laranja, que abrange a capital e outras dez regiões no interior e litoral norte, prevê retomada com restrições a comércio de rua, shoppings, escritórios, concessionárias e atividades imobiliárias. Os demais serviços não essenciais continuam fechados.
Na fase amarela, haverá reabertura total de serviços imobiliários, escritórios e concessionárias segundo protocolos sanitários. Comércio de rua, shoppings e salões de beleza, além de bares, restaurantes e similares poderão funcionar com restrições de horário e fluxo de clientes.
As normas do Estado autorizam prefeitos de cidades a conduzir e fiscalizar a flexibilização de setores segundo as características dos cenários locais. Os pré-requisitos para a retomada são adesão aos protocolos estaduais de testagem e apresentação de fundamentação científica para liberação das atividades autorizadas no Plano São Paulo.