Secretaria de Educação quer lançar faltas aos alunos

Documento de 15 de outubro mostra que Estado quer aumentar a adesão de alunos; sindicato critica situação

Das agências

A Secretaria de Educação do Estado estaria orientando escolas fechadas na região a lançar falta aos alunos. A ideia, segundo a Apeoesp (Associação dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) seria aumentar a pressão para a reabertura das escolas no ABC, já que boa parte dos alunos têm dificuldades para acompanhar as aulas online. A situação foi questionada pelo sindicato que teria recebido como retorno a alegação que isso vai ocasionar a retenção de estudantes que não têm aderido às aulas a distância e aumentar a evasão escolar.

O documento enviado às escolas, em 15 de outubro, além de orientar sobre a atribuição de notas e faltas, também destaca a necessidade de empregar esforços para contatar os alunos e considerar que todo e qualquer esforço dos estudantes deve ser valorizado. Com relação aos estudantes que não entregaram nenhuma atividade até as datas previstas para os lançamentos, depois de terem sido empreendidos todos os esforços relacionados à busca ativa por parte da unidade escolar, deve-se fazer o apontamento de que não há nota e lançar as faltas relativas às atividades propostas. 
Segundo a Secretaria Estadual da Educação, 219 municípios autorizaram o retorno às aulas presenciais.  Em entrevista ao Jornal Hoje, da rede Globo, o secretário Rossieli Soares afirmou que vai fazer um esforço para que os municípios autorizem a volta às escolas  “Pedimos a sensibilidade de prefeitos que não começaram a autorizar,  para que autorizem. E nós vamos sim acelerar esse processo de volta”, disse o titular da pasta da Educação no Estado de São Paulo.
“O próximo passo que nós vamos dar, ainda vamos definir a data, será a obrigatoriedade do retorno do 3º ano do Ensino Médio, que nós estamos estudando para os próximos dias”, ressaltou Soares. Muitas prefeituras mesmo estando na fase verde do Plano São Paulo ainda não autorizaram o retorno das aulas mesmo com a liberação do Estado. As sete cidades do ABC ainda não permitiram a volta. As redes municipais de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá., Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra devem voltar apenas em 2021. Já as redes estadual e particular ainda aguardam uma definição dos prefeitos.
Questionada, a Secretaria de Educação informou que o documento não visa causar evasão e, sim, atuar na busca ativa dos alunos e que isso está claro no texto.