Santo André: Minhoca aprova pedido para que Márcio Chaves justifique contratos na Saúde assinados pela Craisa

Líder de governo questionou acordos fechados neste ano com empresa andreense e que custou mais de R$ 12 milhões ao Paço

Paula Cabrera

O vereador Jobert Minhoca (PSDB) aprovou nesta terça-feira (25/5) um pedido para que o secretário de saúde, Márcio Chaves explique os contratos assinados com a empresa LBGS Grupo de Serviços Ltda para fornecimento de refeições hospitalares e que custaram mais de R$ 12 milhões aos cofres públicos. Os contratos entraram na mira do vereador após a Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André) pagar a empresa com sede na Rua Araçatuba, em Santo André, R$ 6,6 milhões entre janeiro e abril, para suprir acordos de alimentação na Secretaria de Saúde.
Os números estão disponíveis no Portal da Transparência mantido pela própria Craisa. A firma é comandada por Guilherme da Silva Bonadio, que, segundo registro da Junta Comercial, participa do quadro societário de outras quatro empresas – Centro Comercial Mundo Car, Estação Mauá Posto, GBS Participações e Hyperfarma Distribuição e Serviços.
Segundo o portal, existem pelo menos três contratos com a empresa, com valores de R$ 10.395.205,81, R$ 2.731.092,00 e R$ 575.148,00.

Secretário de Saúde, Márcio Chaves Pires

No requerimento, aprovado por Minhoca nesta terça, o atual líder do governo quer que o secretário justifique os diferentes valores e ceda informações sobre o que é fornecido e para quais locais. O vereador questiona ainda se os contratos foram firmados por meio de licitação ou se houve dispensa de concorrência. “Antes de ser líder de governo, sou líder do povo. Está ai a oportunidade de esclarecimento pros dois lados. Entrei na política para fazer isso sempre a luz do dia, nunca as escuras. Se tem algo que vai gerar duvidas, serei o primeiro a fazer perguntas. Sou um vereador que sempre estará com a verdade e com o povo de Santo André”, diz o vereador.