Hospital de Urgência de São Bernardo contará com 1.500 profissionais na linha de frente do combate ao Coronavírus

Maior hospital do País exclusivo para o tratamento de pacientes com Covid-19, complexo será inaugurado nesta quinta-feira (14/05) e contará com 250 leitos, sendo 80 de UTI e 170 de enfermaria

Da Redação

O relógio marca 12h pontualmente e a jovem técnica de enfermagem Fernanda Cristina Rocha, 31 anos, se prepara para iniciar seu treinamento junto à equipe de profissionais da Secretaria de Saúde de São Bernardo. É lá que ela recebe as primeiras orientações do trabalho que irá desempenhar na linha de frente do combate ao Coronavírus. É lá, também, que ela deixa todos os anseios e angústias para fazer o que mais gosta: cuidar das pessoas. Ao lado de profissionais das mais variadas áreas, Fernanda é uma das 1.500 colaboradoras que irão atuar no novo Hospital de Urgência de São Bernardo, cuja inauguração ocorrerá nesta quinta-feira (14/05).
São mulheres e homens, alguns na linha de frente, em contato direto com os pacientes, outros atuando em demais áreas essenciais do hospital, mas todos responsáveis por uma única missão: salvar vidas e proteger os doentes que serão atendidos no maior complexo hospitalar do País, exclusivo para o tratamento de pacientes com Covid-19. A unidade irá oferecer 250 leitos, sendo 80 de UTI e 170 de enfermaria.
“Sabemos da grande responsabilidade que é estar na linha de frente da pandemia. Mas, com dedicação, coragem, força, fé e esperança, temos a missão de levar aos pacientes o alívio e apoio emocional que tanto precisam para encarar a doença e se curarem”, destacou Fernanda.
Para o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, a equipe de profissionais do novo Hospital de Urgência  terá a missão de atuar com amor e dedicação no atendimento de todos os pacientes internados na unidade.  “Diferente de outras situações, esses profissionais irão lidar com pacientes que há dias não têm contato nenhum com seus familiares. Com isso, terão uma responsabilidade afetiva muito grande com cada um dos enfermos em tratamento. Além de esclarecer as dúvidas de cada um, terão ainda a missão de levar e conforto para todos esses pacientes”.

CONTRATAÇÕES – Dos 1.500 profissionais que atuarão no hospital, 1.065 são novos postos de trabalhos criados na cidade. São colaboradores que irão desempenhar as funções de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, assistentes social, fonoaudiólogo, limpeza, segurança e profissionais da área administrativa.
Longe da sua família desde o dia 20 de março, a fisioterapeuta Priscila Carvalho, 29, é uma dessas das profissionais contratadas que terá nos próximos dias a missão de auxiliar, junto uma equipe multidisciplinar, nas decisões do tratamento de cada paciente internado no Hospital de Urgência. Ciente da responsabilidade de sua função, ela reforça a importância da empatia neste momento junto a cada paciente. “Temos uma grande responsabilidade social diante da pandemia. Mas, acima de tudo, precisamos ser humanos durante o atendimento de cada morador atendido na unidade”.

ESTRUTURA – O Hospital de Urgência contará com estrutura formada por sete pavimentos e 23 mil m² de área construída.  Para garantir a segurança e limpeza da unidade, uma ampla equipe de zeladoria estará na linha de frente dos serviços prestados no complexo hospitalar. Um desses profissionais é o segurança Josemir Bernardo da Silva, 32.
Morador do Riacho Grande, o profissional acompanhou desde o início a construção do hospital. “Pude presenciar de perto o nascimento do hospital. Como morador da cidade, poder ter um equipamento deste tamanho é um orgulho. Poder garantir a segurança do complexo e, de alguma forma, ajudar no tratamento dos pacientes do Coronavírus tem sido gratificante”.