PS Central fará só atendimento de Covid-19 em São Bernardo

Urgência e emergência no município será realizado nas 9 UPAs e no PA Taboão a partir deste sábado (27/03); com medida, Prefeitura amplia em 40 os leitos destinados às vítimas do Coronavírus

Da Redação
Em mais uma ação emergencial de combate ao Coronavírus, a Prefeitura de São Bernardo transformará, a partir deste sábado (27/03), o Hospital Pronto-Socorro Central, no Centro da cidade, em equipamento de portas fechadas, com atendimento referenciado para o tratamento de casos de Covid-19. Dessa forma, os atendimentos de urgência e emergência do município passarão a ser realizados apenas nas nove Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e no Pronto Atendimento (PA) Taboão. Com a mudança, o município amplia em 40 os leitos destinados às vítimas da doença, totalizando, neste primeiro momento, 554 leitos exclusivos para a pandemia.
O prefeito Orlando Morando explica que a medida emergencial foi adotada após o estrangulamento da rede de atendimento para casos de Coronavírus no município. “Nossa taxa de ocupação dos leitos de UTI chegou a 100% nesta quinta-feira (25/03) e, de imediato, colocamos em prática essa mudança para ampliar nossa capacidade de atendimento. Estamos, há um ano, ampliando nossa estrutura de Saúde para atender à demanda criada por essa pandemia, com a abertura de dois hospitais permanentes, o Novo Anchieta e o Hospital de Urgência. Vivemos um momento crítico e precisamos, mais do que nunca, do apoio da população para que se protejam e protejam o próximo”, destaca.
Secretário da Saúde do município, Dr. Geraldo Reple Sobrinho ressalta que, com esta transformação do PS Central, a unidade funcionará com portas fechadas para o atendimento clínico referenciado e de pessoas contaminadas pela Covid-19, assim como já ocorre com o Hospital Anchieta, Hospital de Urgência e Hospital de Clínicas. Neste caso, o ingresso dos pacientes nos equipamentos ocorre após transferência das nove UPAs e PA Taboão.
“Esperamos conseguir um fôlego com essa ampliação de leitos, transferir os pacientes que hoje estão internados nas UPAs, ao mesmo tempo em que avançamos com a vacinação na cidade. Os atendimentos de urgência e emergência, de adultos e crianças, realizados nas UPAs que necessitarem de suporte clínico ou cirúrgico para avaliação e internação seguirão sendo encaminhados ao PS Central via ambulância, não mais porta aberta, quando a pessoa chega por meios próprios ao hospital”, explicou Dr. Geraldo.
Atualmente, o PS Central dispõe de 152 leitos, dos quais 31 já estão sendo utilizados para o tratamento de Covid-19. A transformação amplia em 40 novos leitos para tratamento da doença. Dessa forma, o equipamento passará a funcionar com 192 leitos, sendo 176 de enfermaria (130 adulto e 46 infantil) e 16 de UTI (11 adulto e 5 infantil).