Ozelito pede inclusão de escritórios, escolas e salão como serviço essencial

Vereador afirma que profissionais liberais são os mais atingidos pelo fechamento do comércio

Paula Cabrera

O vereador Irmão Ozelito (PSC) aprovou nesta terça-feira (9/3) projeto de lei em que solicita à Prefeitura de Mauá a inclusão de novas atividades como serviços essenciais para permitir a reabertura de comércios e escritórios na cidade.
Entre os serviços a serem incluídos estão os de Advocacia, Contabilidade, Despachante, imobiliária, Escolas Particulares -no caso específico do ensino infantil-, Salão de Beleza e Barbearia. O parlamentar pede ainda a inclusão da opção de Delivery (serviço de entrega), Drive Thru (serviço de retira sem sair do carro) ou Take-away (serviço de retira no balcão) para o Comércio em geral.
Segundo o vereador, “Os serviços elencados são essenciais para manutenção da economia e da saúde, devendo ser ininterruptos, mesmo em situação de calamidade, de emergência, epidemia ou pandemia”.
Ozelito explica que recebeu pedidos diretamente de comerciantes e empresários que temem por seus negócios com o novo isolamento. “Entendemos a gravidade da situação, mas temos que entender também que muitas famílias temem pelo seu sustento nesse período, sem pagamento, inclusive, do auxílio emergencial. São em sua maioria profissionais liberais, como manicures, que sem trabalhar, podem não ter comida na mesa”, diz.
A solicitação de Ozelito vem na esteira de protestos agendados na cidade que solicitam a reabertura das escolas particulares no município. A manifestação está marcada para amanhã, frente à Prefeitura Municipal por meio de um buzinaço.
A proposta deve ser votada novamente na próxima terça-feira.