Justiça Eleitoral abre inquérito policial por agressões de militância de Atila

Clima provocado por cabos eleitorais do ex-prefeito foi estopim para diversos boletins de ocorrência durante a campanha

Paula Cabrera

A Justiça Eleitoral determinou a abertura de inquérito pela Polícia Federal para apurar as agressões sofridas por militantes do PT por cabos eleitorais do ex-prefeito Atila Jacomussi (PSB) durante a campanha eleitoral no ano passado. A ação foi protocolado pelo secretário de Justiça de Mauá, o advogado Matheus Martins Sant’Anna, e foi acatada pela promotora eleitoral, Larissa Mota Nunes Liger, no dia 3 março. A Justiça Eleitoral confirmou o despacho para a investigação policial nesta semana.
Durante a campanha eleitoral do ano passado, militantes do então prefeito Atila foram acusados de agredir, com xingamentos e com socos, diferentes equipes de adversários. As equipes de Atila Jacomussi se envolveram em três grandes confusões, uma com a equipe do candidato Sargento Simões (PSD), outra com equipes do candidato Juiz João (PSD), que abriu boletim por agressão contra uma militante, e a última com cabos eleitorais do candidato Luiz Cuer (PT), neste último, eles socaram os cabos petistas que acabaram precisando de atendimento médico.
Nos três casos, os militantes do ex-prefeito tomaram materiais dos candidatos e não devolveram.
O PT abriu pelo menos dois boletins de ocorrência contra a situação na época. No apontado na Justiça Eleitoral, os cabos eleitorais de Atila teriam usado ripas para tomar o material e agredir os petistas.
Há diversas imagens de confusão durante o período eleitoral envolvendo a militância de Atila. Nos bastidores, a informação é de que muitos andariam armados e causariam confusão principalmente na região da estação de trem e ônibus e em frente ao shopping de Mauá.
Em uma dessas ocasiões, militantes chegaram até a trocar empurrões. A Polícia Militar apareceu e chegou a pedir calma, mas mesmo com os guardas próximos, as provocações continuaram. Os enfrentamentos na região aconteceram em pelo menos três situações, com empurra-empurra generalizado já na semana do segundo turno, quando militantes de Atila tomaram material da equipe de Marcelo Oliveira (PT) no Zaíra.