Sindserv fecha auxilio de R$ 480 aos servidores com menor renda e negocia convênio odontológico

Paula Cabrera

O Sindserv (Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Mauá) conseguiu a ampliação do auxílio-alimentação de R$ 410 para R$ 480, a partir deste mês. O reajuste foi publicado no Diário Oficial do município, nesta terça-feira (26/5). A entidade diz que a medida e fundamental “pela dura realidade de trabalho do funcionalismo mauaense”. Atualmente cerca de 6,5 mil trabalhadores são beneficiados com o recurso.
O acordo foi sacramentado pelo secretário de Administração, Marcos Eduardo Camargo Maluf, segundo a entidade, “a administração municipal foi sensível à situação dos servidores e à correção das perdas inflacionárias dos últimos 12 meses”.
Para o presidente do Sindserv, Jesomar Alves Lobo, os servidores estão na linha de frente da luta contra a Covid-19, mesmo os que atuam de forma remota. “Os servidores estão na lida todos os dias para atender a população mauense nas diversas necessidades que a situação impõe, mesmo que seja de suas casas”, argumenta. “Mesmo de casa, os servidores atendem aos munícipes por meios eletrônicos ou via telefone, como são os casos dos professores ou dos atendentes de outros serviços”, pontua. “Com isso, as despesas impostas por essa nova modalidade de trabalho acabam a cargo do próprio trabalhador, que por permanecer mais tempo em casa, acaba por aumentar seu consumo domiciliar, e isso inclui a alimentação de sua família”, analisa.
Além do reajuste no auxílio-alimentação, o Sindicato negociou junto à administração municipal a concessão do convênio odontológico em plano familiar. O processo está em andamento.
Em abril, o funcionalismo mauaense recebeu reajuste de 2,1%, referente à primeira metade do reajuste de 4,2% sobre os salários, negociado pelo Sindicato. Os outros 2,1% serão aplicados em agosto.

Benefício
O auxílio-alimentação é um benefício pago ao servidor ou empregado público que recebem os menores vencimentos dentro da folha de pagamento. Segundo o último levantamento da Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André (Craisa), a cesta básica de alimentos custou aos trabalhadores R$ 680. Isso significa que os servidores públicos de Mauá tiveram que desembolsar do próprio salário 270 reais para conseguir adquirir itens básicos de alimentação. O reajuste ameniza essa situação.