Volpi anuncia secretariado

Prefeito eleito reduziu Secretarias e trouxe antigos aliados de volta ao Paço

Paula Cabrera

O prefeito eleito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PL), anunciou neste domingo (20/12) a lista do secretariado para o seu terceiro mandato como prefeito de Ribeirão Pires. Aos 72 anos, recuperado da covid-19, Volpi confirmou a prometida diminuição de secretários de 21 para 12. “Venho aqui cumprir meu compromisso de campanha, de enxugar a máquina pública. Não vamos lotear a Prefeitura. Vamos montar um time técnico para colocar Ribeirão Pires no rumo certo. Queremos jovens que gostem de política, de gestão pública, que tenham conhecimento. Vamos tentar montar isso”, disse Volpi.


Entre os doze nomes apresentados, alguns já acompanham o prefeito há tempos, caso de Nonô Nardelli, presidente do PL, que assumirá a secretaria de Governo, cargo que ele já havia ocupado em governos anteriores de Volpi. Já Rosi de Marco, ex-secretária de Educação de Ribeirão e de Rio Grande da Serra, também deve voltar ao posto. Gabriel Maranhão, ex-secretário de Obras e atual prefeito de Rio Grande também está na lista. Eduardo Pachecho também volta ao cargo de secretário de Administração e Finanças.

CONFIRA A LISTA COMPLETA

Nono Nardeli – Secretaria de Governo
Audrei Rocha – Secretaria de Saúde
Rosi Ribeiro de Marco – Secretaria de Educação
Clauricio Bento – Secretaria de Esporte, Cultura e Turismo
Coronel Carmo Júnior – Secretaria de Segurança, Trânsito e Defesa Civil
Leonardo Biazzi – Secretaria de Promoção Social
Marli Silva – Secretaria de Desenvolvimento Econômico
Rubens Fernandes – Secretaria de Zeladoria e Serviços Urbanos
Andreza de Araújo – Secretaria de Meio Ambiente, Habitação e Planejamento Urbano
Eduardo Pacheco – Secretaria de Administração e Finanças
Rangel Ferreira – Secretaria de Assuntos Jurídicos
Gabriel Maranhão – Secretaria de Obras

Outras propostas

Além do corte de gastos, Volpi aposta em um projeto de condomínio de lotes, que buscará repartir as matrículas de terrenos municipais. “Precisamos crescer. Podemos ter crescimento demográfico e econômico. Precisamos disso porque os gastos nesses tempos nebulosos de pandemia foram feitos sem a necessidade de  cumprir metas fiscais. Então, a gente se prepara para um cenário de terra arrasada. Serão anos austeros, que dependerão da nossa criatividade. Tenho uma estratégia  para tentar baixar o custeio e preservar receita que é jogar os números para a margem de oito anos atrás, quando começou a crise econômica. Enxugar a máquina e cortar gastos desnecessários”, diz.
Ele afirma que hoje Ribeirão Pires tem cerca de 400 cargos comissionados, que também devem ser enxugados. “São R$ 2,5 milhões por mês com comissionados e gratificações que em 4 anos somarão perto de R$ 122 milhões. Diminuir os comissionados para 120 pessoas, no máximo. Com isso poderemos reduzir o custeio da máquina em 50%. Essa economia será investida na saúde e na zeladoria da cidade”, afirma.

veja o vídeo do anúncio

Reunião aconteceu neste domingo