Câmara barra CPI da Mauá Luz

Sargento Simões entrou com pedido para criar comissão parlamentar, mas não conseguiu votos necessários

Paula Cabrera

O pedido de abertura de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para investigar falhas na iluminação pública da cidade, hoje sob gestão do Consórcio Mauá Luz, foi barrado na Câmara de Mauá. A solicitação foi feita pelo vereador Sargento Simões (Podemos). As reclamações sobre o serviço tem sido frequentes e levaram o parlamentar a chamar o Consórcio, frequentemente de “Mauá Escuridão”. “Essa era uma proposta minha antiga porque é um serviço muito mal feito. Eu entendo que, quando a empresa se propõe a realizar o serviço, precisa prestá-lo com qualidade. Não é o que está acontecendo e se não prestam regularmente o serviço, não devem receber por ele”, afirma o vereador.
Simões conseguiu 7 votos dos 16 necessários. Apoiaram a solicitação de Simões os vereadores Mazinho (Patriotas), Madeira (Patriotas), Admir Jacomussi (Patriotas), Wiverson Santana (PL), Márcio Araújo (PSD), Ricardinho da Enfermagem (PSB). “O povo não aguenta mais ser saqueado. Você paga sua contribuição de iluminação pública e o serviço é muito ruim, tenho ouvido diversas reclamações, mas sigo ao lado do povo, fiscalizando essa empresa”, conclui Simões.