Mauá faz mutirão de vacina para quem tem 30 anos ou mais

Cidade será a primeira do ABC a aplicar a primeira dose a essa faixa etária; serão 24 postos de vacinação abertos no mutirão deste sábado (17/07), das 9h às 16h

Da Redação

Mauá segue avançando com a campanha de vacinação contra a Covid. Neste sábado (17/07), a cidade se torna a primeira do Grande ABC e uma das pioneiras em São Paulo a aplicar o imunizante a pessoas com idade a partir dos 30 anos.

O mutirão será realizado com a abertura de 24 postos de vacinação com funcionamento das 9h às 16h – as 23 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e o Ginásio Poliesportivo Celso Daniel, único no sistema drive-thru. A imunização segue durante a semana nas 23 unidades de saúde, das 9h às 15h30. Exceto a da Magini, que aplica as doses das 9h às 19h30.

O munícipe maior de 30 anos que por algum motivo ainda não recebeu a primeira dose também poderá se vacinar.

O pré-cadastro no site Vacina Já (vacinaja.sp.gov.br) é obrigatório, pois agiliza o atendimento. Somente serão imunizados os moradores no município e que apresentem o comprovante de residência em nome de quem receberá o imunizante, em nome do pai ou da mãe, ou em nome do marido ou da mulher (com cópia da certidão de casamento para comprovar). Todos devem apresentar CPF e documento com foto (CNH ou RG).

O avanço da campanha de vacinação começa a trazer resultados expressivos ao município. Em quatro meses, a média mensal de mortos caiu 75%, saindo de 219 para 55. E a tendência de queda permanece nessa primeira quinzena de julho. E a ocupação dos leitos reduziu em 36%. Desde 19 de janeiro, o município aplicou 245.182 mil vacinas, com cobertura de quase 60% entre o público-alvo da primeira dose (18 anos ou mais).

Além da aplicação dos imunizantes, a Prefeitura de Mauá atuou em outras frentes, principalmente ampliando a capacidade de atendimento da rede. A quantidade total de leitos exclusivos para o tratamento da doença foi ampliado em 46% em relação a 2020, passando de 92 para 134 unidades.

O número é ainda maior, 253%, se for levado em consideração que na maior parte do ano passado Mauá contou com apenas 38 leitos direcionados exclusivamente para as internações decorrentes da contaminação por coronavírus – o hospital de campanha funcionou por pouco mais de três meses e com horário de funcionamento (das 7h às 19h) e os leitos existentes nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) à época não eram totalmente voltados para tratamento da Covid.

O hospital municipal chegou a 40 leitos de UTI e 30 de enfermaria. Além disso, o atual governo firmou convênio com a rede privada, mais especificamente com o Hospital Sagrada Família, para disponibilizar à população mais 20 leitos, sendo 10 de UTI e 10 de enfermaria.

Outro dado importante é que até 2020 as quatro UPAs de Mauá somavam 24 leitos de enfermaria para atendimento às mais diferentes doenças. Neste ano, além de reformular totalmente o setor, transformando os leitos destas unidades de pronto atendimento em estruturas de suporte ventilatório (preparadas para ofertar oxigênio a doentes diagnosticados com casos mais graves da Covid), a quantidade de leitos foi ampliada e destinada exclusivamente para tratamento da infecção por coronavírus. Hoje, há 44 leitos de suportes ventilatórios disponíveis à população, sendo 11 em cada UPA.

Os números, embora favoráveis, não representam motivos para se reduzir os cuidados. Reforçamos o pedido às pessoas ficarem em casa na medida do possível. Se precisarem sair, protejam-se usando corretamente a máscara, mantenham a higiene das mãos frequentemente e o distanciamento físico. Evitem aglomerações.