Mauá dispersa baile funk com 260 pessoas

Prefeitura afirma que intensificou ações e que verificação do cumprimento de normas sanitárias são permanentes; baile funk aconteceu no Jardim Oratório

Da Redação

Embora os números relacionados à Covid em Mauá comecem a registrar tendência de queda, a pandemia está longe de acabar. Por isso, a Prefeitura de Mauá mantém as equipes de fiscalização nas ruas para coibir medidas que atentem contra a saúde pública e também prejudicam o combate à disseminação do coronavírus.

Desde o começo do ano foram realizadas 3.880 vistorias, as quais geraram 212 autuações, 510 termos de intimação por descumprimento de normas sanitárias e 35 interdições.

Agentes da GCM (Guarda Civil Municipal) e de secretarias como Saúde e Planejamento atuam todos os dias em rondas ou então em atendimento a denúncias.

Apenas no último fim de semana foram 168 inspeções, 12 termos de intimação para orientar sobre horários e uso de fumígenos (quase sempre narguilés). A cidade segue o Plano São Paulo, que permite funcionamento até as 23h, respeitando o limite de 60% da capacidade de ocupação.

Dois estabelecimentos descumpriram o horário limite para se manter abertos. Um deles, localizado no Jardim Zaíra, era reincidente e foi lacrado pela fiscalização. Já o outro, situado na Vila Vitória, cumpriu a determinação dos agentes e encerrou as atividades do dia.

Na Rua Rio de Contas, no Jardim Oratório, baile funk clandestino com cerca de 250 pessoas foi dispersado com uso de armas não letais. A GCM apreendeu veículo utilizado para tocar a música durante a festa. O carro foi recolhido ao pátio municipal.