ABC faz dia D de vacinação contra a gripe neste sábado

Podem se vacinar crianças, gestantes, idosos a partir de 60 anos e professores

Da Redação

Os municípios do ABC promovem, neste sábado (29/5), o Dia D da vacinação contra o vírus da Influenza, causador da gripe comum. O objetivo da iniciativa, articulada pelo Consórcio Intermunicipal Grande ABC, por meio do Grupo de Trabalho Saúde, é ampliar a adesão à campanha de imunização entre as pessoas que integram o grupo de risco em Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.
O público-alvo da ação são os grupos prioritários das duas primeiras fases da campanha nacional de imunização contra a gripe, estabelecida pelo Ministério da Saúde: crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes e mães de recém-nascidos (puérperas), povos indígenas e trabalhadores da saúde, idosos com 60 anos ou mais e professores das escolas públicas e privadas.
Para se vacinar, as pessoas que integram os grupos prioritários devem consultar os locais de vacinação em seus municípios. É preciso levar um documento com foto e a carteirinha de vacinação. Quem já tomou a primeira ou segunda dose da vacina contra a Covid-19 deve esperar pelo menos 14 dias de intervalo para receber o imunizante contra a Influenza.
O coordenador do GT Saúde e secretário da pasta em São Bernardo, Geraldo Reple Sobrinho, ressaltou que as pessoas aptas a receber as doses devem procurar um dos postos de vacinação contra a gripe para receber a imunização.
“Esta proteção é muito importante para evitar complicações mais graves da gripe, especialmente neste momento em que estamos nos aproximando do período de inverno”, afirmou Reple.
O presidente do Consórcio ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, reforçou a importância de que a população esteja imunizada contra o vírus da gripe para reduzir a pressão no sistema de Saúde com novas internações.
“A vacina contra a Influenza é um importante reforço para evitar síndromes gripais que podem evoluir a transtornos respiratórios graves. Quem faz parte dos grupos prioritários não deve deixar de se vacinar e se proteger”, disse Paulo Serra.